ALYSSA BUSTAMANTE - Curiosidade pelo mal OS VÍDEOS MAIS BIZARROS DA INTERNET 5 CRIANÇAS DO SHOW DE HORRORES A MALDIÇÃO DA RESIDÊNCIA HILL

Show do Legião Urbana com Holograma de Rentao Russo

 
 

Depois de 25 anos do último show em Brasília da Legião Urbana, Renato Russo voltou neste sábado (29) à sua cidade natal em forma de projeção holográfica no tributo que fizeram a ele no recém inaugurado Estádio Nacional Mané Garrincha. O show "Renato Russo Sinfônico" contou com a presença de diversos artistas como Zélia Duncan, Sandra de Sá e Ivete Sangalo, além do ex-baixista da Legião Urbana, Renato Rocha.

Rocha, também conhecido como Negrete, subiu ao palco animado para dividir o microfone em "Será" com outros músicos e chegou a reclamar por meio de um "Ah..." quando soube que cantariam "Será". Ele, que em 2012 foi visto morando nas ruas, relembrou de seu passado como baixista na saideira "Que País É Esse".

Divulgada como a primeira holografia no Brasil, o artifício acabou não chamando tanto a atenção, já que ela trouxe a imagem de Renato Russo ao palco apenas para cantar uma música, "Há Tempos". A presença dos artistas foi mais significativa e suas interpretações deram a emoção que a homenagem pedia.

Em quase duas horas de show, eles interpretaram canções da Legião Urbana e composições da carreira-solo de Renato para as mais de 50 mil pessoas que ocupavam o estádio, segundo a organização. Sandra de Sá abriu o show com 15 minutos de atraso, cantando "Mais do Mesmo". André Gonzales, vocalista da banda brasiliense Móveis Coloniais de Acaju, cantou junto com o público "Ainda é Cedo". Zélia Duncan levantou a plateia com "Eu Sei" e "Quase Sem Querer"; e Jorge dü Peixe, da Nação Zumbi, entoou a canção "Soldados". 

Cris Bierrenbach/Folha ImagemCom a música "Pais e Filhos", Zizi e Luiza Possi, mãe e filha respectivamente, emocionaram a plateia. Ivete Sangalo trouxe sua voz grave e poderosa na interpretação de "Monte Castelo". Já Lobão não poupou energia na releitura de "Perfeição".

Com interpretações poderosas, Ellen Oléria, a vencedora do reality musical "The Voice Brasil", levantou o público de sua cidade com a canção "Teatro dos Vampiros", e Jerry Adriani foi ovacionado com "Tempo Perdido". A doce voz de Fernanda Takai, do Pato Fu, deu um toque especial a "Giz". E quando Alexandre Carlo, vocalista da banda Natiruts, começou a cantar os primeiros versos de "Faroeste Caboclo", os brasilienses foram à loucura.

Além dos artistas, o público foi outra grande atração do show. Em apresentações do bandolinista Hamilton de Holanda e da violinista Ann Marie Calhoun, era a voz da plateia que dominava o estádio.

O ator Fabrício Boliveira, o João de Santo Cristo do filme "Faroeste Caboclo", subiu ao palco para falar sobre a importância das manifestações que têm ocorrido por todo o país e leu um manifesto entregue pela plateia. Ele terminou o seu discurso pedindo um minuto de silêncio em homenagem aos mortos nos últimos atos.

O público estava na mesma sintonia. Com bandeiras do Brasil, placas com dizeres como "nunca fomos tão brasileiros" e gritos de "que país é este?", as músicas de Renato Russo parecem ir ao encontro dos anseios da nova geração. No final do show, todos os artistas voltaram ao palco para cantar juntos "Será".

Transmissão ao vivo

O canal Multishow tentou exibir o show ao vivo, mas não deu muito certo. Durante três vezes o sinal do satélite caiu e a apresentação foi interrompida e substituída por vídeos de arquivo da Legião Urbana. A emissora informou que estava enfrentando problemas técnicos e por isso optou por reprisar o Renato Russo Sinfônico logo depois do ao vivo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário