ALYSSA BUSTAMANTE - Curiosidade pelo mal OS VÍDEOS MAIS BIZARROS DA INTERNET 5 CRIANÇAS DO SHOW DE HORRORES A MALDIÇÃO DA RESIDÊNCIA HILL

Fãs consideram precipitada nova banda dos ex Charlie Brown Jr

A volta aos palcos dos integrantes remanescentes do Charlie Brown Jr. com uma nova banda foi vista com reserva por boa parte dos fãs que compareceram neste sábado (13) ao Aeroclube Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, no Viradão Carioca. Raimundos, Detonautas, Fresno e Forfun se uniram no mesmo palco para relembrar sucessos da banda e homenagear o cantor Chorão, pouco mais de um mês depois de sua morte.

O tributo aconteceu dias após os ex-Charlie Brown Jr. anunciarem a formação de A Banca. O grupo segue com Champignon assumindo apenas os vocais, substituído pela baixista Lena. Além de Champignon e Lena, continuam na banda os guitarristas Marcão e Thiago Castanho, e o baterista Bruno Graveto.

Embora comemorem a retomada, muitos consideraram precipitado o retorno em tão pouco tempo. "O impacto não vai ser o mesmo. Todos ainda estão acostumados a ver o Chorão no palco. Achei cedo [para outra banda]", disse o estudante Felipe Guterres, 20, que contou ter ido ao Viradão "principalmente por causa da homenagem ao Chorão" e perdeu a conta de quantas vezes viu a banda santista ao vivo em shows no Rio e em outras cidades.

Tico Santa Cruz, do Detonautas; o vocalista do Fresno, Lucas Silveira; e o tecladista do Forfun, Vitor Isensee, subiram ao palco no final do show dos Raimundos e cantaram "Proibida Pra Mim" e "Zoio de Lula", duas músicas que alavancaram o Charlie Brown Jr para fora das pistas de skate e projetaram a banda santista em todo o país.

Nos bastidores, após cantar com os Raimundos, Lucas admitiu ter ficado surpreso com a decisão. "Fiquei surpreso, né? Mas, depois pensei: "cara, eles são músicos e vão continuar vivos.  Não é por que ele se foi que todos devem parar". O que eu desejo a eles é que deem seguimento ao que o Charlie Brown Jr. vinha fazendo", disse.

A coordenadora de produção Bianca Bortolani, 26, contou que, de tanto assistir a shows e gravações em emissoras de TV, acabou se tornando amiga de Chorão. Ela estimou ter ido a mais de 43 apresentações do Charlie Brown Jr e relembrou o dia em que participou de uma festa de aniversário surpresa para o músico na pista de skate que ele era dono em Santos, no litoral de São Paulo. No celular dela, havia dezenas de fotos que tirou com o vocalista.

"Achei cedo [para terem montado outra banda], mas eles são músicos também. Mudaram de nome, então tudo bem", disse. Sobre a declaração do baixista Canisso, do Raimundos, que, antes de subir ao palco, afirmou ter certeza de que Chorão "gostaria que a banda continuasse", Bianca foi reticente. "Tenho minhas dúvidas. Por conta do Champignon, principalmente", afirmou, em uma referência à conturbada relação entre Chorão e o baixista, marcada por desentendimentos.

Ainda sob o impacto da homenagem, Suelen Gama, 25, mostrou os braços arrepiados e lamentou a perda do músico, cujo carisma e presença de palco, em sua opinião, são "insubstituíveis".  "Não gostei [da nova banda]. Foi muito cedo e, sinceramente, nunca vai ser igual. O Chorão subia no palco e não cantava. O público cantava para ele. Já vi muito show deles em que os produtores tinham que expulsar o Chorão do palco porque o público pedia para ele ficar, e ele ficava". 

Chorão foi encontrado morto na madrugada do dia 6 de março em seu apartamento no bairro de Pinheiros, zona oeste de São Paulo. Um exame necroscópico divulgado no último dia 4 comprovou que a morte do cantor foi causada por overdose de cocaína.