ALYSSA BUSTAMANTE - Curiosidade pelo mal OS VÍDEOS MAIS BIZARROS DA INTERNET 5 CRIANÇAS DO SHOW DE HORRORES A MALDIÇÃO DA RESIDÊNCIA HILL

Resumo dos Shows do SWU até o momento


Informações sengundo a Folha de São Paulo

O SWU começou neste sábado, em Paulínia (a 117 km de São Paulo) e vai até segunda-feira. Com mais de 70 atrações, o festival tem entre os destaques shows de Black Eyed Peas, Kanye West, Snoop Dogg, Duran Duran, Faith No More, Alice in Chains e Stone Temple Pilots.

Acompanhe abaixo como foram os principais shows do evento.

21h30 - Kanye West (Palco Consciência)

Duração real: duas horas
Duração merecida: 90 minutos
Momento Kinder Ovo: o rapper surge no meio da galera, no começo do show, depois de usar um teatrinho no palco para distrair a atenção do público
Kanye West x Snoop Dogg: quesito público - Snoop; quesito espetáculo - Kanye; quesito marra - empate
Vai para o trono ou não vai?: Vai. Podia facilmente ter juntando meia dúzia de pessoas e vindo faturar um troco (estou olhando para você, Snoop Dogg), mas trouxe um espetáculo completo, ambicioso
Foi o melhor show do primeiro dia? Pode-se argumentar que sim
Então foi um troço inesquecível? Caaaaalma. Você assistiu aos shows do primeiro dia?
Vai mandar um beijo para quem? Pro meu amigo ("Tyler the Creator, um dos artistas que eu mais respeito"), pra minha mãe (em "Hey Mama") e pra você ("I love you, Brazil")
Resumo: Kanye West trouxe a noção de espetáculo para o primeiro dia do SWU e não poupou nada na tentativa de entreter a plateia: cenário rebuscado (alguns diriam brega), bailarinas, efeitos especiais e muita disposição do rapper. Para seu azar, tudo isso teve pouco efeito prático sobre o público (metade do que viu Snoop Dogg no show anterior), que vazou após ouvir os hits ("Good Life", "Heartless", "Gold Digger")

20h30 - JAMES MURPHY (Palco Energia)

Tempo de duração: uma hora e meia
Poderia ter durado: uma hora e meia
Quantas pessoas conheciam LCD Soundsystem: 15
Que deselegante!: por mais de uma vez, Jaiminho abandonou os pick-ups e deixou o som tocando sozinho
Deram um show: o menino empinando uma canga de Bob Marley aos passinhos de reggae em toda a apresentação, o fortão tatuado que queria pular a grade pedindo loucamente para James Murphy acelerar o som e os gringos sacodindo muletas felizes da vida em frente ao palco

20h25 - SNOOP DOGG (Palco Energia)

Duração real: uma hora
Duração merecida: meia hora, duas horas, tanto faz, parece estar sempre cantando a mesma música
Número de músicas: um monte
Número de músicas que tinham na letra a expressão "motherfucker": todas
Número de dançarinas: três
Média de altura das dançarinas: 1,55 m
Número de rappers fazendo vocal de apoio: dois
Número de pessoas vestindo fantasia de cachorro feita de pelúcia: uma
Número de pessoas que não precisavam estar no palco: três (dois rappers e um cara com fantasia de cachorro)
Resumo: com imutável cara de safado, Snoop Dogg tem carisma e sabe conduzir a plateia numa sequência matadora rap de números pesados e sensuais


19h20 - DAMIAN MARLEY (Palco Consciência)

Duração real: 60 minutos
Duração merecida: três canções (as do papai)
Clima do show: rastafari, man!
Clima da plateia: legalize já
É esse o filho do Bob Marley que namora a Isabeli Fontana? Não, é o Rohan (ambos assistiram ao show na pista, aliás)
Esse é o que casou com a Lauryn Hill? Não, também é o Rohan
Então esse é qual mesmo? É o caçula, gravou com Bruno Mars e está no projeto paralelo do Mick Jagger (SuperHeavy), com a Joss Stone também
Faz jus ao sobrenome em termos musicais? Não
Faz jus ao sobrenome de alguma maneira? Os dreads, que vão até o pé, são de respeito
Resumo: "Get up, Stand up", "Is this Love?", "Could You Be Loved?". Isso foi tudo que prestou em um show de resto maçante; era melhor montar uma banda cover do pai


18h30 - ODD FUTURE (Palco New Stage)

Duração real: 65 minutos
Duração merecida: 30 minutos
Palavrões mais falados no show: "Fuck" e "shit"
Problemas: Tyler, the Creator reclamava do som (muito baixo), das luzes (muito fortes), do computador (no qual ele não sabia mexer)...
Falha de comunicação: Sem muita resposta das pessoas que assistiam ao show, Tyler resolveu adotar uma nova estratégia. "Get crazy", disse, bem devagar, enquanto gesticulava com as mãos
Resumo: Menos conhecidos no Brasil do que no resto do mundo, empolgaram pouco com suas músicas --bem diferente de seus shows em festivais nos EUA e na Europa. Foi só "Yonkers", do trabalho solo de Tyler, que animou mais o show, com todo mundo cantando e abrindo rodas de pogo no meio da plateia


17h15 - MATT & KIM (Palco New Stage)

Duração real: 45 minutos
Duração merecida: 60 minutos
Instrumentos no palco: dois (um teclado e uma bateria)
Momento constrangedor: A vocalista Kim elogiou os seios de uma garota da plateia: "Uau, eles não param de pular!"
Momento rockstar: O empolgado Matt escalou a estrutura do palco e ficou lá pendurado por alguns segundos
Resumo: Com pose de "cheerleaders", a dupla se levanta de seus instrumentos --ela, da bateria, e ele do teclado-- para conversar com o público, pedir palmas, gritos e pulos. E todo mundo responde, mesmo sem conhecer uma música sequer do duo, que nunca faz um show desanimado

15h50 - MICHAEL FRANTI (Palco Energia)

Duração real: uma hora
Duração merecida: pela animação do cantor e da plateia, pelo menos o dobro do tempo
Visual da banda: "Tudo ao mesmo tempo agora" (cantor tatuado, descalço e de dreadlocks; guitarrista de roupa militar estilizada; baixista alinhado de camisa social e calças pretas; baterista com roupa de beduíno)
Número de músicas: 11
Número de músicas em que o cantor gritou "pula!": 11
Número de músicas em que o cantor pediu para o público levantar as mãos: 11
Número de vezes que o cantor perguntou, em português, "Estão felizes?": 5
Número de vezes que o cantor desceu para andar no meio do público: 4
Resumo: misturando rock, reggae, ska, dance music e uma pitada de samba, Michael Franti esbanjou simpatia e colocou todo mundo para dançar. Precisa fazer logo uma turnê pelo país. Vai cair nas graças da moçada


15h - EMICIDA (Palco Consciência)

Duração real: 45 minutos
Duração merecida: 90 minutos
Visual: indie-rap - bermuda, boné, camiseta do Charlie Brown (do Snoopy)
Temperatura na hora do show segundo a Climatempo: 32ºC
Temperatura na hora do show segundo quem estava torrando em pé embaixo do sol: 100°C
Momento "viagem": a saudação aos "vários amigos presentes, favelados, maloqueiros, da rua", que supostamente estavam no meio do público (99% dele classe média, no mínimo)
Grupos sociais atacados: 2 (políticos e polícia)
Acredito no hype?: Pode acreditar
Resumo: o rapper justificou sua crescente fama com um repertório animado e afiado, além de uma memorável homenagem a vários ícones do rap nacional (Thaíde & DJ Hum, Racionais etc.). Não improvisou tanto quanto de costume, mas nem por isso deixou de agradar a um público fiel e guerreiro, que aguentou o pico de calor do dia para assistir ao show na frente do palco


Fonte:  Folha de São Paulo



Nenhum comentário:

Postar um comentário