ALYSSA BUSTAMANTE - Curiosidade pelo mal OS VÍDEOS MAIS BIZARROS DA INTERNET 5 CRIANÇAS DO SHOW DE HORRORES A MALDIÇÃO DA RESIDÊNCIA HILL

Ratos de Porão 30 anos



A mais querida e tradicional banda de hardcore do Brasil completa três décadas nesta sexta-feira (11) com um show no Hangar 110, em São Paulo. A apresentação, marcada para coincidir com a data cabalística de 11/11/2011, contará com todas as formações que a banda já teve, desde 1981.

"São 11 pessoas para ensaiar, não está fácil ensaiar todo mundo", disse o vocalista João Gordo ao UOL. "Tem gente ali que não toca junta desde 1983".


Foto 17 de 22 - Jabá e Gordo em show no início da década de 90 Arquivo pessoal
Na última década, os Ratos de Porão ficaram conhecidos pelo grande público principalmente por causa da fama de Gordo como apresentador de televisão. Já no cenário underground, a banda sempre foi um dos nomes de maior prestígio no país. É uma das raras bandas que, há décadas, consegue reunir entusiastas do punk, hardcore e metal.

O repertório, apresentado em ordem cronológica, trará músicas de toda a longa discografia do grupo, desde as primeiras fitas demo até o último álbum de inéditas, "Homem Inimigo do Homem" (2006). Na abertura, o show terá a banda norte-americana Conquest For Death e os paulistanos do D.E.R.
No início da década de 80, o RDP participou de uma série de festivais e coletâneas punk legendários até lançar, em 1984, o primeiro álbum de uma banda do estilo no país, o hoje clássico "Crucificados Pelo Sistema".

"Ganho dinheiro com inimigos", diz João Gordo

Paralela à popularidade da banda, a alcunha de "traidores do movimento" os acompanha desde essa época. "Começou quando eu disse, num fanzine, que o Ratos não tocava mais punk rock, e sim hardcore", diz Gordo. Em 1986, quando ousaram misturar hardcore e metal, a coisa ficou pior. "Os punks radicais me juraram de morte, mas eu não estava nem aí, nós sempre estivemos à frente desses idiotas."

Traidor mesmo, e daí?
"Os punks radicais me juraram de morte, mas eu não estava nem aí. Sempre estivemos à frente desses idiotas"

João Gordo, sobre a alcunha de "traidor do movimento punk"De lá para cá, a banda também gravou na Europa e fez incontáveis turnês internacionais, incluindo uma nos Estados Unidos em 2000, que culminou com um show na lendária casa novaiorquina CBGB. "Foi onde o punk nasceu. Quando cheguei lá, me ajoelhei e lambi o chão do palco", contou Gordo, referindo-se ao "lar" de grupos como Ramones, Misfits, The Cramps e outros.

Além do vocalista, a formação atual do Ratos conta com o fundador Jão na guitarra, Maurício "Boka" na bateria e "Juninho" Sangiorgio no baixo, e é a mais longa que a banda já teve. É também, a favorita de Gordo, que só se juntou ao grupo em 1983. Preferências pessoais à parte, o show desta sexta-feira será provavelmente a única oportunidade que os fãs terão para repassar, em uma só noite, todas as fases do grupo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário